• Analice afirmou que é solidária a campanha por melhores salários dos profissionais de saúde do servidor público.

    Funcionários públicos da saúde se reunem na comissão para anunciar a greve

    Funcionários públicos da saúde no Estado de São Paulo acompanharam a reunião da Comissão de Saúde no dia 17 de abril, em que Analice Fernandes faz parte. Os funcionários do Hospital do Servidor declararam greve desde o dia 13 devido ao baixo salário.

    Os representantes de entidades sindicais do setor pediram apoio nessa campanha. O deputado Celso Giglio (PSDB) elogiou o trabalho desenvolvido pelos funcionários do Hospital do Servidor, mas argumentou que aquele hospital, que atualmente pertence à Secretaria de Gestão, deveria estar ligado à Secretaria da Saúde.

    O representante do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Otelo Chino, declarou entender a complexidade das questões e disse também que já havia tido uma reunião com o presidente do Iamspe a respeito desses assuntos, mas até agora não houve o efeito desejado. 

    Analice afirmou que é solidária a campanha por melhores salários dos profissionais de saúde do servidor público.

     Outro representante do setor, Benedito Augusto (Amianspe), ressaltou que os funcionários aceitam 27% de aumento, mas o governo promete apenas 7% e ainda para o mês de agosto. O sindicalista afirmou também que o salário baixo faz com que os funcionários façam plantões extras, gerando dupla jornada de trabalho, sobrecarregando esses profissionais, notadamente as mulheres. 

    Chico falou que a negociação com o governo do Estado já dura quase um ano, mas não avança. Segundo ele, havia promessa de reajuste para dezembro passado, o que não ocorreu e não tem data certa para se concretizar, “um dia por semana por cinco semanas consecutivas”, afirma o médico sobre a paralisação.

    Na mesma comissão foram aprovadas ainda o Projeto de Lei que cria o “Programa de Alas Infantis” na rede pública de saúde, o Projeto de Lei que obriga os locais públicos, privados, repartições públicas e empresas privadas, com circulação média diária igual ou superior a mil e quinhentas pessoas, a manter aparelho desfibrilados externo automático em suas dependências. O Projeto que dispõe sobre a obrigatoriedade da realização de exame de Ecocardiograma nos recém-nascidos portadores de Síndrome de Down no Estado. Outro Projeto que altera a Lei nº 12.253, de 2006, que dispõe sobre a manutenção de lista de medicamentos genéricos em caractere Braille, para consulta pública, nas farmácias e drogarias do Estado e também o Projeto de Lei que institui sobre a prestação de pronto atendimento ao consumidor de serviço de saúde em situação de emergência ou de urgência.

Mais | Notícias | Todas Cidades | NOTÍCIAS