• Governador Geraldo Alckmin atende reivindicação da região sudoeste e oficializa estação junto ao Pátio

    Até então estava previsto no Vila Sônia apenas o pátio de obras, que servirá para manutenção e manobras dos trens. Trazer uma estação para a Vila Sônia era uma das lutas da deputada estadual Analice Fernandes, mesmo antes de assumir como deputada estadual. Analice e o então prefeito Fernando Fernandes entregaram em 2.002 um abaixo assinado nas mãos do governador para que uma estação fosse incluída no Vila Sônia. Durante seu mandato a deputada tem acompanhado passo a passo a evolução da Linha 4, feito reuniões com a Secretaria e levando sempre as necessidades da região.

     

    Na última visita que fez a região o governador Geraldo Alckmin depois de conversar com a deputada, chegou a anunciar a realização da estação, no final de 2004. Porém no projeto ela ainda não estava concretizada. Agora a Secretaria de Transportes Metropolitana dá como definitiva a construção da estação para a fase 2.

    Para o secretário Jurandir Fernandes todo o problema é de ordem financeira, uma vez que o governador Geraldo Alckmin tem feito grandes esforços para a captação de recursos que possam financiar as obras.

    Analice agora luta para a inclusão da estação na fase 1

    “Eu sempre tive absoluta certeza que a estação da Vila Sônia iria se concretizar, mesmo quando os técnicos me diziam o contrário. Porque é impossível você fazer uma obra tão gigantesca como a da Linha 4, que chegaria de qualquer forma até a Vila Sônia, por causa do Pátio de Manobras, e não fazer uma estação para que as pessoas possam usufruir a linha construída. Seria uma grande decepção para toda a região”, afirmou Analice, que comemorou o anúncio formal da Secretaria.

    Para a deputada agora a luta é para que a estação seja antecipada para a primeira fase, e passe a funcionar quando a linha 4 começar a operar, a previsão neste caso seria para 2.007. “Nossa luta ainda não terminou, vamos nos mobilizar para a antecipação da estação Vila Sônia, e quando ela estiver pronta, faltará apenas 1 quilometro e meio para o metrô chegar a Taboão”, disse Analice.

    Linha 4 estará a 1km e meio de Taboão da Serra

    O projeto da Linha 4 do metro prevê sua chegada até TS, depois da segunda fase concretizada. O pátio continuará sendo na Vila Sônia, sendo que em TS será construída uma estação, com espaço para a manobra dos trens. A linha 4 terá seu pátio de manobras no meio do caminho, e não no final como a maioria das linhas.

    Linha 4 do Metrô em números

    Extensão: 12,8 km – construídos de uma só vez
    Estações: 11 estações – construídas em 2 etapas
    Custo: R$ 1,9 bilhão (na primeira fase e R$ 1,2 bilhão na segunda), com recursos provenientes do Tesouro do Estado e de empréstimos do Banco Mundial (Bird) e do Japan Bank for International Cooperation (JBIC). Também está prevista a participação da iniciativa privada.
    1ª etapa: Butatã, Pinheiros, Paulista, República e Luz
    2ª etapa: Vila Sônia, Morumbi, Faria Lima, Fradique Coutinho, Oscar Freire e Higienópolis

    Obras da Linha 4 do Metrô mudam o trânsito em toda região

    Desde o dia 19, os pontos terminais de sete linhas intermunicipais, gerenciadas pela EMTU, Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, foram transferidas nas imediações do Largo da Batata, em Pinheiros, por causa das obras da linha 4 do Metrô. As alterações acarretaram também em mudanças de itinerários e para informar os usuários metropolitanos, a empresa anexará informativos nos ônibus das linhas envolvidas na nova operação.

    Veja as principais linhas modificadas:
    Taboão da Serra (Parque Jacarandá) – São Paulo (Pinheiros)
    Alteração de ponto: da Av. Brigadeiro Faria Lima para Rua Baltazar Carrasco.

    Novo itinerário
    IDA: normal até Rua Belchior Coqueiro, Rua Baltazar Carrasco.
    VOLTA: Rua Baltazar Carrasco, Rua Cardeal Arcoverde, seguindo normal.
    Embu (Jardim Casa Branca) – São Paulo (Pinheiros), via São Paulo (Estrada do Campo Limpo)
    Alteração de ponto: da Rua Baltazar Carrasco com Rua Belchior Coqueiro para Rua Claudio Soares.

    Novo itinerário
    IDA: normal até Rua Teodoro Sampaio, Rua Claudio Soares.
    VOLTA: Rua Claudio Soares, Rua dos Cariris, Rua Cardeal Arcoverde, seguindo normal.
    Embu (Jardim Tomé) – São Paulo (Pinheiros), via Cotia (Rodovia Raposo Tavares)
    Alteração do ponto: da Rua Tucambira (oposto ao nº 37) para a Av. Brig. Faria Lima (entre a Rua Coropés com Rua Padre Garcia Velho)

    Novo itinerário
    IDA: normal até Largo de Pinheiros, Rua Teodoro Sampaio, Av. Brigadeiro Faria Lima (entre a Rua Coropés e Rua Padre Garcia Velho).
    VOLTA: Av. Brigadeiro Faria Lima, Praça Professor Rezende Puech, Av. Pedroso de Morais, Rua Cardeal Arcoverde, Rua Martim Carrasco, Rua Fernão Dias, Rua Sumidouro, seguindo normal.
    Osasco (T. R. Helena Maria) – São Paulo (Pinheiros)
    Alteração do ponto: da Rua Baltazar Carrasco, nº 187, para Av. Brig. Faria Lima, junto ao canteiro central (entre a Rua Baltazar Carrasco com Rua Cristóvão Gonçalves).

    Novo itinerário
    IDA: normal até Av. Brigadeiro Faria Lima com ponto de parada junto ao canteiro central (porta à esquerda).
    VOLTA: Av. Brigadeiro Faria Lima, retorno, Av. Brigadeiro Faria Lima, Rua Martim Carrasco, seguindo normal.

    Para obter mais informações, os usuários podem procurar a Ouvidoria da EMTU/SP – 0800.190.088 – que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, ou acessar o serviço por meio do site www.emtu.sp.gov.br

Mais | Linha 4 do Metrô | Todas Cidades | NOTÍCIAS