• PROJETO DE LEI Nº 1531, DE 2015

    Denomina como” KOEI ARAKAKI “, o viaduto localizado no Km 562 e 627 m, na Rodovia SP-320, no Município de Fernandópolis.

    A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:

    Artigo 1o. Passa a denominar-se “ KOEI ARAKAKI ”, o viaduto localizado no Km 562 e 627m, na Rodovia SP-320, no Município de Fernandópolis.

    Artigo 2o. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

    JUSTIFICATIVA

    O homenageado Koei Arakaki, nasceu no Japão na cidade de Shuri, até então a única capital da Ilha de Okinawa, localizada ao extremo sul do Japão, em 11 de janeiro de 1903. Foi onde passou sua infância e juventude, e desde seus 8 anos em 1911 ouviu no Japão que passava por dificuldades, histórias sobre um país chamado Brasil onde o eldorado acontecia, existia fartura e prosperidade.

    O Sr. Koei Arakaki saiu em 15 de outubro de 1918 do porto da cidade de Kobe, desembarcando no Brasil apenas em 29 de dezembro do mesmo ano, com 15 anos, realizando o seu sonho, juntamente com um irmão mais velho Saburo Arakaki, já casado, que veio com a esposa, sua cunhada Koshi, para trabalhar em uma fazenda de café no município de Descalvado. Algum tempo depois mudaram-se para a região de Catanduva/SP, mais precisamente na zona rural, no distrito de Vila Elisiário, na Fazenda Botelho, onde se dedicaram à cultura do algodão.

    Em 1926 com 23 anos, sua família preocupada com sua idade um pouco avançada para um solteiro, e seguindo uma tradição e costume da cultura japonesa da época, casou-se por procuração com a Sra. Nahi Shimabukuro Arakaki que estava no Japão, estando ele no Brasil, e sem a conhecer pessoalmente, só em fotos trocadas. Passados 9 meses depois de se casar no Japão, se conheceram pessoalmente ainda embarcada no navio, pois o SR. Koei Arakaki, que estava ansioso, foi levar roupas e sapatos ocidentais novos, comprados por ele para substituir o kimono e tamanco japoneses, as únicas coisas que trazia com ela.

    Viveram um casamento de cumplicidade e companheirismo fora do comum. Neste, mesmo dia o Sr. Koei e seus amigos que os esperavam, prepararam uma festa de casamento que foi oficializado dias depois no consulado.

    O casal teve sete filhos, quatro homens e três mulheres, Koyo (Pedro), Kosuke (Luis), Iokiko (Maria Helena), Riromassa (José), Tomiko, Hiromitsu e Sumiko.

    Em 1948, a família Arakaki mudou-se com a sua família para Catanduva, para poder estudar os filhos e para que eles aprendessem outras profissões.

    Em 1951, os filhos Kokuse e Pedro, decidiram que deveriam deixar de ser empregados e abrir algum oficio por conta própria. Após visitarem diversas cidades, optaram pelo município de Fernandópolis, logrando muito sucesso com a oficina mecânica, sendo que compraram uma casa para abrigar o Sr. Koei e o restante da família.

    Meados da década de 50, Kosuke passou a vender tratores novos, da marca Zetor e em 1962 adquiriu a revenda regional dos tratores Massey Ferguson, de fabricação nacional, juntamente com seu irmão Riromassa.

    A revenda de tratores Masey Ferguson prosperou e no final de 1970 Kosuke e Riromassa, juntamente com outros empresários fernandopolenses, decidiram partir para outros segmentos de negócios: começaram as tratativas para a montagem da Alcoeste Destilaria Fernandópolis S/A.

    A sociedade foi constituída oficialmente no dia 25 de fevereiro de 1980, com o incentivo do Pró-Alcool. Em 1982 deu-se início da moagem da primeira safra, com uma produção diária de 120 mil litros. Novos investimentos foram feitos, todos com financiamento próprio, chegando à atual produção de cerca de 90 milhões de litros de álcool/ano.

    A Alcoeste trouxe ânimo e força para que os sonhos dos irmãos Kosuke e Riromassa crescessem e dessem início ao Grupo Arakaki, que atualmente possui quatro empresas que atuam em diversos segmentos, como agroindústria, comercio e serviço, formando o Grupo Arakaki.

    O Sr. Koei Arakaki faleceu aos 75 anos em 1978.

    Diante disso e mais que poderia ser acrescido, faz-se justa a homenagem de colocar o nome do Sr. Koei Arakaki no viaduto recentemente construído em função das obras de duplicação da rodovia Euclides da Cunha.

    Desta forma, conclamo os nobres pares no sentido conferir apoio à aprovação do Projeto de Lei em epígrafe, por tratar-se da mais clara e sincera forma de homenagear, conferindo o justo reconhecimento aos préstimos exercidos pelo patriarca do Grupo Arakaki junto à comunidade de Fernandópolis.

    Sala das Sessões, em 19/11/2015.

    a) Analice Fernandes – PSDB

    PROJETO DE LEI Nº 1531, DE 2015

Mais | Projetos de Lei | PROPOSITURAS