• Festival de Educação Integral lota Ginásio Ayrton Senna

    O Festival de Educação Integral promovido no sábado, 30 de novembro, pela Prefeitura de Taboão da Serra, através da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, contou com a presença de mais de quatro mil pessoas. O evento, realizado no Ginásio de Esportes Ayrton Senna, representou o encerramento das atividades desenvolvidas ao longo do ano pelos alunos no Programa Mais Educação.

    Pais, familiares e educadores, puderam conferir apresentações de danças típicas do país, feitas por 1150 crianças, divididas em 23 grupos. O tema deste ano foi “Isto é Brasil” e representou parte da diversidade cultural das cinco regiões do país.

    O prefeito Fernando Fernandes e a deputada estadual Analice Fernandes elogiaram o encontro. “Estou muito emocionado. Em geral, os símbolos da pátria ficam relegados, mas aqui todos estão de parabéns. São atitudes como esta que constroem a cidadania, pois é nesta idade que é possível moldar o caráter” – disse. “Saio daqui de alma lavada porque vejo uma Taboão melhor, com crianças melhores e com uma Educação melhor” – afirmou o prefeito Fernando Fernandes.


     
    A deputada Analice Fernandes elogiou a educação taboanense. “Acompanho o trabalho da Educação em todo o estado e posso afirmar que Taboão da Serra está de parabéns pela qualidade do ensino e pelo alto nível das apresentações. Obrigada, prefeito Fernando Fernandes por investir na educação, pelo uniforme e material de qualidade e pelo tênis, que será distribuído ano que vem” – afirmou.

    Participaram do encontro o vice-prefeito Laércio Lopes, a secretária de Assistência Social e Cidadania, Arlete Silva, os vereadores Joice Silva, André Egydio e Érica Franquini, supervisores de ensino, e o coordenador da Coordenadoria Especial da Promoção da Igualdade Racial (CEPIR), Antonio Carlos Sousa Santos.

    Apresentações de qualidade

    Uma das apresentações que rendeu inúmeros aplausos foi à homenagem feita pela EMEF Dr. Anísio Dias dos Reis à Quadrilha Junina Raios de Sol, uma das mais tradicionais da Paraíba. A pedagoga e monitora do Programa Mais Educação, Elaine Neto, que se emocionou e chorou no final da apresentação do grupo, contou que expectativas eram inúmeras. “Tudo construído por nós, com a ajuda das mães, de toda a escola, professores, auxiliares de classe. Inclusive uma professora, a Amélia, levou a máquina de costura dela pra escola e ficamos das 7 às 19h costurando as roupas, peça por peça. Jamais imaginamos que teria toda essa repercussão. Foi gratificante, lindo demais. Senti cada emoção e cada passo que eles [as crianças] deram. Não tenho nem como explicar, foi puro sentimento” – disse.


     
    A cuidadora Marinete Cícera do Nascimento, cuja filha estuda na EMEF Heitor Villa Lobos, aprovou a realização do Festival. “Achei tudo ótimo. O município que apoia às crianças só cresce” – afirmou. “Eventos como este deveriam acontecer mais vezes, pelo menos duas vezes ao ano, pois a criança tem uma grande capacidade de aprender e, também, de ensinar, afinal acabamos de aprender muitas coisas aqui com eles” – disse.

    O secretário da pasta, João Medeiros, estudo trabalhar o tema do Desfile Cívico de 7 de Setembro do ano que vem. “Foi um trabalho muito bonito do ponto de vista plástico e cultural. Estou muito orgulhoso com todas as apresentações. Enquanto assistia pensei que será interessante trabalhar as regiões brasileiras no Desfile do ano que vem, mas isso é algo ainda que iremos discutir” – disse. Ao termino das apresentações, à coordenadora do programa, Daniela Honorato, disse que amou o evento. “Vimos o Brasil em cor, em arte, em Cultura, em movimento. Eu amei” – falou.

    Na região sudeste, as homenagens foram à cultura japonesa em São Paulo, ao folclore, futebol e banda Skank em Minas Gerais, ao hip-hop no Rio de Janeiro e a dança catira no Espirito Santo. Na região sul, as celebrações foram de danças como a da colheita, de fitas (Santa Catarina), jardineira (Paraná), chimarrita (Rio Grande do Sul), além da tradicional congada e brincadeiras gaúchas. As apresentações do nordeste foram ao som de ritmos como o forró do Xote do Darcy, o frevo pernambucano, ao grupo Olodum e as baianas. Na região norte, as homenagens foram ao Rio Amazonas, às brincadeiras típicas, como o elástico, à lambada, ao Festival de Parintins e as Festas do Boi Garantido e do Caprichoso, além de cirandas e a dança carimbó, tradicional do Pará. O encerramento, com a região centro-oeste relembrou a dança do siriri, o Maculelê de Goiás e as maravilhas do Mato Grosso do Sul.

Mais | Notícias | Todas Cidades | NOTÍCIAS