• IMG_4555

    Pela valorização do profissional da enfermagem

    Dia 12 de maio comemoramos o dia do enfermeiro, e nesta semana – de 12 a 20 de maio, a Semana da Enfermagem.

    Como deputada e enfermeira, gostaria de sensibilizar a sociedade para uma questão importante, a valorização da enfermagem.

    Somos, segundo dados Conselho Federal de Enfermagem – cerca de 347 mil enfermeiros em todo Brasil, número ainda insuficiente para suprir as demandas de saúde. Hoje dos 3,5 milhões dos profissionais existentes na área de saúde, 50% estão na enfermagem – contabilizando enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem.

    Recentemente uma blitz feita nos hospitais de São Paulo detectou a falta de 80% de enfermeiros nas unidades. Contraditoriamente, pesquisa feita pela Fundação Fiocruz com abrangência nacional – aponta que já existe uma situação de desemprego aberto entre 10% dos profissionais de enfermagem que se declararam sem emprego nos últimos 12 meses.

    Faltam empregos, bons salários e muitas vezes, o enfermeiro é obrigado a dobrar sua jornada, para conseguir um salário maior, que faça frente a suas despesas.

    Hoje, o poder público é responsável por empregar 59,03% dos profissionais da enfermagem, 31,8% estão nas instituições privadas de saúde, 14,6% nas instituições filantrópicas, e 8,2% nas instituições de ensino.

    Quadro que nos mostra que a valorização do profissional da enfermagem está diretamente ligada ás políticas públicas estruturadas nas esferas municipais, estaduais e federal.

    A pesquisa também mostra uma masculinização da profissão. As mulheres representam 84,6% da enfermagem, essa porcentagem já foi maior e a tendência é que os homens aumentem seu interesse pela profissão, levando em consideração o quadro em processo de formação.

    Como deputada, temos empreendido uma série de ações para melhorar as condições de trabalho da enfermagem e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos a nossa população no Estado.

    Um Projeto de Lei nosso foi decisivo para que o governo do Estado aprovasse a autorização para que os enfermeiros e auxiliares de enfermagem pudessem fazer plantões nas unidades estaduais. O que até então, era permitido apenas aos médicos e odontólogos.

    Os plantões da enfermagem possibilitaram aos enfermeiros um ganho extra, além de proporcionar maior flexibilidade para as unidades de saúde, que podem passar a contar com o profissional conhecedor da unidade sempre que necessário.

    Tivemos, também, uma grande vitória com a criação do cargo de técnico de enfermagem na estrutura de saúde do nosso Estado, fato este que melhorou a qualidade da assistência, uma vez, que o governo do Estado ofereceu gratuitamente para seus auxiliares, formação técnica de enfermagem – através do Tec Saúde.

    Se a origem das atividades da enfermagem foi fundada na compaixão e na solidariedade humana – características essenciais para o bom profissional da enfermagem – a prática atual baseia-se em conhecimentos científicos, em uso de tecnologia, em processos organizacionais e de divisão dos trabalhos complexos, e que desses itens dependem a boa assistência.

    Precisamos colocar em pauta o papel exercido pela enfermagem. Como melhorar as condições de trabalho para o profissional da enfermagem e como melhorar as questões da assistência da enfermagem para os pacientes.

    Venho ao longo de meus mandatos defendendo a categoria da qual pertenço, e sendo uma interlocutora da enfermagem, principalmente nas questões de governo.

    Analice Fernandes é enfermeira e deputada estadual pelo quarto mandato

Mais | Destaques do Mandato | Todas Cidades | NOTÍCIAS