• PL 12/2006 – Denominação de “Profº. Paulo Afonso de Toledo Duarte”, a Escola Estadual do Bairro Capuava, em Embu

    Dá a denominação de "Profº. Paulo Afonso de Toledo Duarte", a Escola Estadual do Bairro Capuava, em Embu.

     

    A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:

     

     

    Artigo 1o. Passa a denominar-se “Profº. Paulo Afonso de Toledo Duarte”, a Escola Estadual do Bairro Capuava, em Embu.

     

     

     

    Artigo 2o. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

     

     

     

    JUSTIFICATIVA

     

     

     

     

    O professor Paulo Afonso de Toledo Duarte nasceu em 30 de abril de 1929, na Cidade de Teófilo Otoni – Minas Gerais. Filho de José Afonso Duarte e Conceição Lamberga Duarte. Faleceu em 24 de abril de 2001.

    Casou-se com a, também, professora, Josefa Xavier de Toledo Duarte, com quem teve três filhas: Maria Cristina Duarte Nakashima, Maria Ignez Xavier Toledo Duarte (psicóloga e assistente social) e Maria Luiza Xavier Toledo Duarte (professora de Educação Física e Fisioterapeuta).

    Durante toda sua vida dedicou-se à Educação e à Promoção Social, prestando serviços nas Secretarias de Promoção Social e Educação do Estado de São Paulo. Formado em Pedagogia com especialização na área de Estudos Sociais, o Professor Paulo Afonso desenvolveu sua carreira de educador desde 1965, sendo que tal escolha fora tomada em um período de grande maturidade de sua vida.

     

    Dedicou sua vida à educação sentindo-se honrado em ser professor e transmitia essa honra aos seus alunos da forma mais pura e singela, demonstrando ser de fato, um dom que lhe foi conferido, o de educar e criar verdadeiros cidadãos.

    Ministrou aulas em várias escolas, inicialmente como professor primário e depois, no Magistério formando outros professores, acumulando a atividade de Orientador Pedagógico junto ao MOBRAL, a partir de 1974 e a Secretaria da Promoção Social a partir de 1982.

     

    Um marco em sua história de vida profissional foi a implantação da Escola Mista de Emergência de Itatuba, zona rural do município de Embu, mais tarde transformada em Escola Estadual do Bairro Capuava, que recebe por esta propositura, sua homenagem.

    Trabalhou nesta Escola Estadual de 16 de maio a 14 de dezembro dd 1969, além, de viabilizar sua implantação.

     

    A tarefa foi árdua, pois o Professor Paulo Afonso andou de casa em casa pela Comunidade para localizar um espaço disponível até conseguir um salão onde ficava o armazém da Sra. Matilde Torelli, que também, se preocupava com as crianças do bairro e juntos desenvolveram a primeira escola do Bairro Capuava. De acordo com a comunidade sua trajetória de educador o consagrou como um verdadeiro mestre.

     

    Participou da implantação do Programa Alfabetização de Adultos e Jovens através do preparo dos Supervisores Municipais, sendo uma outra grande oportunidade de concretização de um ideal maior e motivo de grande satisfação, segundo seus familiares.

     

    Com a extinção do MOBRAL foi reapresentado à Secretaria Estadual da Promoção Social, participando de atividades na Coordenadoria de Ação Regional, no Grupo de Programas de Desenvolvimento Comunitário da Assessoria Técnica de Planejamento e Controle e no Gabinete do Secretário até 1984, quando foi classificado como Orientador Educacional. Mais tarde voltou à sala de aula exercendo com satisfação sua profissão na Escola Estadual Enio Voss, até o ano de 1996, quando se aposentou.

     

    Segundo depoimento de uma colega da Coordenação Estadual do MOBRAL, Senhora Bárbara Isabel Nunes Sanches, ele “sempre se preocupava para que os Supervisores dos Municípios obtivessem a melhor orientação possível para repassá-las aos monitores e professores do MOBRAL, buscando a eficiência, eficácia e efetividade na administração dos cursos, principalmente os de Alfabetização de Adultos e Educação Integrada, envolvendo jovens e adultos. Neste sentido, foi mais que um educador: voluntarioso, curioso, e preocupado em agregar valor ao trabalho que desenvolvia, acabava, sabiamente, por ampliar o seu papel, transformando-se, sempre que podia, num mobilizador. Todo o tempo se revelou como bom colega e amigo, humilde para aprender mais e solidário para compartilhar os seus conhecimentos e descobertas. Foi uma pessoa surpreendente que se superava a cada dia e que levou muito a sério os ensinamentos que obtiveram: desenvolver e por em prática as habilidades humanas, quando utilizavam as habilidades técnicas e científicas”.

     

     

     

    Como pessoa, o Professor Paulo exibia grande sensibilidade na arte da escrita poética e do canto lírico; produziu uma Coletânea de Versos e foi Presidente e Diretor da Associação Paulista do Canto Lírico, entidade que reunia os melhores artistas líricos do Estado.

     

     

    Por seus valorosos préstimos dedicados à família e a profissão de educador para a sua comunidade, tem-se justificada a presente propositura, fazendo-se por meio desta uma homenagem justa a quem demonstrou a todos que ensinar refletia seu dom e justificou sua existência.

     

     

    Desta forma, conclamo os nobres pares no sentido de conferir apoio à aprovação do Projeto de Lei em epígrafe, por tratar-se da mais clara e sincera forma de homenagem ao Professor Paulo Afonso de Toledo Duarte, sendo a propositura aprovada no E. Plenário.

     

     

     

     

    Sala das Sessões, em 2-2-2006

     

     

     

     

    a) Analice Fernandes – PSDB

     

Mais | Projetos de Lei | PROPOSITURAS