• PL 487/2003 – Denominar-se “Vicente Maciel” a Escola Estadual Cohab Raposo Tavares, em São Paulo

    Dá denominação a estabelecimento de ensino.

    A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo decreta:

    Artigo 1º – Passa a denominar-se “Vicente Maciel” a Escola Estadual Cohab Raposo Tavares, em São Paulo.
    Artigo 2º – Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

     

    J U S T I F I C A T I V A

    Vicente Maciel nasceu na cidade de São Paulo, em 18 de março de 1921, sendo seus genitores Miguel Gianinni e Maria Cândida Maciel.
    Estudou em escolas públicas e no Liceu de Artes e Ofícios.
    Casou-se com Elza Fanin Maciel, sendo que, desta união nasceram 3(três) filhos.
    Trabalhou como bancário e sempre que dispunha de algum tempo livre dedicava-se a filantropia. Trabalhou, também, no Sindicato dos Bancários na defesa das causas trabalhistas e previdenciárias. Prestou assessoria   junto à Câmara de Vereadores de São Paulo.  
    Durante toda sua vida trabalhou em função do bem estar das pessoas e do progresso das comunidades, principalmente através das melhorias nos bairros os quais residiu.
    Residiu nos bairros de Pinheiros; Butantã; Ferreira, onde sua luta comunitária ganhou mais força, pois fundou o jornal Correio dos Bairros. Transformou-o num verdadeiro porta-voz das necessidades dos bairros do Butantã, Campo Limpo e do município de Taboão da Serra ( tendo participado de sua emancipação política).
    Em prol da comunidade destacamos suas principais realizações:

    • fundou a Sociedade Amigos de Bairro do Ferreira;
    • colaborou na Fundação da Sociedade de Bairro do Rio Pequeno;
    • núcleo da associação anti-alcóolica, no bairro do Ferreiro;
    • Centro Comunitário do Conjunto Residencial do Butantã;.
    • Associação dos Bancários Aposentados.

    Conseguiu através desses órgãos, pelo seu mérito e perseverança;

    • linha de ônibus (Pinheiros – Vila Dalva);
    • escolas estaduais;
    • recuperação de alcólatras;
    • iluminação, asfalto , arborização de ruas do Conjunto Residencial do Butantã;
    • aposentadoria e pensões de muitos cidadãos.

    Também fez parte do jornal Tribuna do Butantã.
    Em 02 de julho de 2002 veio a falecer.
    Pela relevância e magnitude dos inigualáveis serviços prestados à comunidade, torna-se justa a perpetuação do seu nome, através da denominação escolar   sugerida.
     

    Sala das Sessões, em  5/6/2003

     

    a) ANALICE FERNANDES  –  PSDB
Mais | Projetos de Lei | PROPOSITURAS